quarta-feira, 3 de março de 2010





disseste:
falha a pontuação nesta página onde adormecemos calados.
eu dizia-te que o amor é um alfabeto pequeno
na antologia dos dias em que morremos.

e quanto mais abreviavas o texto
mais os meus dedos sangravam

perto da nossa boca
só as coisas secretas se fizeram amores perfeitos.




foto: m.josé amorim

21 comentários:

Maria disse...

Os amores perfeitos são normalmente assim...
Se me pudesses ver verias um enorme sorriso :)))

Luís disse...

és tão desconcertante...

às vezes.

bjs Maré



(luis eme>)

Graça Pires disse...

Palavras mais que perfeitas ...
Um beijo, Maré.

Ana Oliveira disse...

... as palavras secretas criam jardins de flores perfeitas...

Um beijo

Ana

alice disse...

o luís tem razão :) desconcertante! tens o poder de nunca deixar o leitor adivinhar a palavra seguinte! uma qualidade rara... (opinião minha, claro).

beijinho, maré*

Mar Arável disse...

Os silêncios também se desvendam

quando se ama assim

por gestos

Bjs

teresa p. disse...

Muito belo o teu poema de Amor!

Bjs.

© Piedade Araújo Sol disse...

desconcertante e no entanto perfeito.

um beij

Virgínia do Carmo disse...

Às vezes não há alfabeto que sirva os significados que procuramos...

Mas os amores perfeitos são sempre lindos!...

Beijinho, Maré!

Isabel disse...

e perfeita a escrita simbiótica de si.





sempre.


beijo Maré Alta.

lobices disse...

...será possível mergulhar num poema?

VFS disse...

aguardo o derreter dos corpos em ventos de vogais abertas,
onde os girassóis se erguem incandescentes.

beijos tombam nos lábios esquecidos.
ou desejados em áureas nostalgias
que ardem sem se consumir.

prenuncia-se a expressar da seiva.

silvos nocturnos,
gemidos em peles.

queres?

(beijos)

lupussignatus signatus disse...

boca

de

crepitantes

incêndios



[e vogais

de lume]



*beijo de
boa semana*

augusto, um entre mil disse...

Só as coisas não ditas, fechadas nas nossas bocas, são, por vezes, verdades.

A.S. disse...

Rasguemos as folhas
acabemos com a ilusão
é nos nossos lábios que a realidade
acontece...


Beijo
AL

maria josé quintela disse...

sem qualquer falha de pontuação.



beijo maré.

heretico disse...

quando assim acontece, muda-se de página...

(digo eu, que nada sei de amores perfeitos...)

beijo

Jaime A. disse...

"eu dizia-te que o amor é um alfabeto pequeno" passado na tinta do esquecimento quase agreste...
Parabéns (como sempre... :)

Nilson Barcelli disse...

São várias as interpretações que faço do teu magnífico poema.
Como não tenho qualquer convicção em nenhuma delas, sabendo que até há amores perfeitos proibidos e que há coisas secretas que não se abordam em público (a inversão, neste caso, é proibida), permito-me adormecer calado...
Um beijo, querida amiga.

gabriela r martins disse...

é impossível estar muito tempo longe do teu poetar



sou como as ondas .....ou a necessidade de te buscar

maré vaza



.
um beijo ,princesa L

pin gente disse...

muito bonito!

lamento não ter ficado até mais tarde na conferência poesia e ciência. a alice apresentou-nos mas só mais tarde soube que o teu rio aqui desagua. parabéns!
um abraço
luísa