sexta-feira, 2 de outubro de 2009





apago os dias incendiados
o gorjeio ensandecido no rasto da tua boca.
reescrevo quase tudo.
a noite agora traça vínculos uterinos no meu corpo
com o sangue de uma folha que me cai no colo.

o outono cresce
como um sono premeditado:
derradeiro regurgitar dos pássaros.


ft ana almeida s.

27 comentários:

Mar Arável disse...

Os pássaros voam

mesmo nas chamas

das marés

fernanda s.m. disse...

Forte, quente e belo !

Abraço e bom fim de semana.

Luis Eme disse...

o Outono cresce, agora...

mas como o tempo passa rápido, logo é Primavera e voltam os cheiros das ervas e os sons dos pássaros...

Luis Eme disse...

e és tão nocturna...

bjs Maré

Isabel disse...

agora os dias. agora o pássaro que te voa na garganta.


agora o meu chegar.


agora. o caminho. de vínculos essenciais à leitura. atenta.


beijo. de y.

lobices disse...

...gosto (engraçado: gosto das palavras, não tanto da "poesia", mas apenas das palavras, uma a uma de per si, porque cada uma tem suavidade e música... são leves e, por isso, não pesam no poema... fá-lo núvem serena...)

maria josé quintela disse...

reescreve-se porque o sono apaga todos os trilhos.


reescreve-se um outro outono com o mesmo sangue.


bom dia maré.

PiresF disse...

Um excelente exercício; fechar os olhos e rescrever os passos dados, os caminhos... Tem, porém, um senão: o excessivo adornar. Mas é também desses excessos, que vive a poesia e a alma dos Poetas.

Beijo, Maré.

PiresF disse...

PS: Bem, não sei se é um senão se um “sesim”, depende.

Jaime A. disse...

quando a noite vem
caem os restos do Outono
e os restos das águas
sonham traços de loucura,
de marés sanguinárias

Valdemir Reis disse...

Olá Maré.

Volto aqui para matar a saudade. Sempre que o tempo permite aproveito para visitar e me atualizar. Confesso que estou ausente face às atividades, mas como diz o poeta; “amigo é coisa para se guardar debaixo de sete chaves, assim falava a canção...” Aproveito para compartilhar o poema a seguir;
"Viva a Vida"...
“Por que Viver é Exalar Pura Energia!
É Devolver Sorrisos.
É Acreditar que o Bem Sempre Vence o Mal.
É Conquistar Amigos.
É Ser Sempre Leal e Fiel.
É Transformar a Dor em Alegria.
É Ter Amor no Coração.
É Correr Atrás dos Sonhos, da Inspiração, e dos Projetos
Buscando Sempre o Entendimento das Coisas.
Viver é Ser Sempre da Paz.
É Orar em Agradecimento pelas Dádivas Recebidas.
É Buscar o que Te Faz Bem, e aos Outros Também.
Viver é Lembrar que o Sorriso é o Idioma Universal.
É Lembrar que o Final não Existe.
É Saber que Tudo é um Eterno Recomeço.
E Ver a Vida Sempre com o Amor no Coração.” A. d.
Votos de um ótimo fim de semana. Muita paz, saúde e proteção. Brilhe sempre! Fique com Deus. Sucesso...

Valdemir Reis

quanto pesa o vento? disse...

o outono cresce e a tua escrita também.
gostei!
abraço.

maré disse...

às vezes "sesim" PiresF :)

a emoção/palavra vive de excessos
ou de absoluta escassez.

Obrigado pela emoção que me proporcionou a presença do "primo" da minha querida Graça.

___
e um beijo ao sabor de uma brisa leve da ria

maré disse...

Isa

as garças sobrevoam os caminhos.

atravessam o perfurante perfume
de uma terra nocturna e irão rasar
a superfície das águas.

.

um beijo, liquido, balançado de maré

susana disse...

Hummm as noites de Outono ...tão aconchegantes...e quentinhas apimentadas com o cheiro das folhas...
Lindo poema.

Beijinho
Susana

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

"o outono cresce
como um sono premeditado:
derradeiro regurgitar dos pássaros."

é muito bonito.

Beijinhosss

O Profeta disse...

...Às vezes uma intensa alucinação
Em que viajas pelo meu eu
Às vezes o mundo fica em espera
Da união do mar com o céu

Onde param os teus anseios
Onde encontras a sublime calma
Nestes dias de dura tormenta
Onde aqueces a tua alma?

Voa comigo...


Mágico beijo

Jaime A. disse...

agora, deixa as águas
comerem os restos do fogo,
reescreve a angústia do silêncio.
talvez o teu prémio
esteja entre a loucura
e o outono em crescendo...

Virgínia do Carmo disse...

Às vezes reescrever é preciso...

Beijinho
...

Nilson Barcelli disse...

O Outono cresce, mas as tuas poesias são a Primavera, que promete estações ainda mais altas...
Gostei do teu poema, claro. Acho-o muito bom.
Beijos.

antonior disse...

É de facto um Outono. O resto esconde-se no escuro por dentro das árvores, cujas folhas se imaginam sangrando...

Beijinhos

Graça Pires disse...

O outono cresce. E os nossos olhos ficam em tons de mel.
E os teus poemas continuam a ser de todas as estações.
Um grande beijo, Maré

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

Maré ,
o outono é um fruto esquecido numa árvore , só um pássaro sabe disso , porque ainda não pressentiu a queda da última folha .
Reescrever é não apagar os sinais , mas olhar para eles , há uma ameaça nos olhos mortal , ás vezes ...
Abraço, Alma
__________ JRMARTO

gabriela rocha martins disse...

o Outono cresce no regurgitar dos pássaros

como TU

alados

( mais um excelente poema )



.
um beijo

ausenda disse...

Excelência de poema!

Como não gostar?

Beijo

lupussignatus disse...

labareda

que

fere

a noite




*beijo*

AnaMar (pseudónimo) disse...

Palavras que (nos)incendeiam neste inventar de todas as Estações.
Lindo!
Bj