domingo, 2 de agosto de 2009


..............
__________________

a noite crescia
eu escrevia.
a noite falava pelo silêncio das árvores.
lado a lado a respiração e a sombra
a colheita da luz nos pulmões de julho.

o meu corpo apreende a voz deste lugar
a soma singular do fogo e do silêncio.
e a noite amamenta-se das minhas mãos
como um pássaro que se suicida na vertigem do seu voo.



ft: judith tomaz

21 comentários:

A.S. disse...

judith,

A noite desce...
os grilos ciciam,
os sonhos descansam
dentro de uma folha verde.
Os corpos tocam-se
como o feno,
que se agita em ondas...


Beijos meus...
AL

Luis Eme disse...

também gosto de escrever quando a noite cresce...

bjs Maré

gabriela rocha martins disse...

um novo poema onde tudo se conjuga

em beleza absoluta



.
um beijo

Vieira Calado disse...

Achei bem interessante o seu poema.

Bjs

Pedro Branco disse...

Venho apenas deixar um beijo doce. Passarei com mais tempo e disponibilidade.

Graça Pires disse...

A noite, onde as palavras nunca se cansam de sobreviver... Um belo poema, Maré, minha amiga...
Um beijo enorme.

lupussignatus disse...

o suspiro

da

noite


[solar
inspiração]


*beijo*

Isabel disse...

A NOITE CRESCE MAIS SEMPRE QUE AQUI VENHO, MESMO QUE SEJA DIA.


em ti o verbo é sempre perfeito.



e eu saio. reconfortada. muito.



beijo.te.



(piano)

Isabel disse...

(bom dia_________pássaro).



:)


beijo.



imf

Maresias disse...

E a noite frutificou-a num corpo, num lugar e aqui,

silêncio-me na beleza das suas mãos.


Um beijo

susana disse...

A noite fala-me tanto...
Belo poema,gostei muito.

Beijo de um anjo
Susana

Nilson Barcelli disse...

"e a noite amamenta-se das minhas mãos
como um pássaro que se suicida na vertigem do seu voo."
Excelente poema querida amiga. A parte final é soberba... gostei imenso.
Boa semana, beijo.

lobices disse...

...onde o belo se confunde com a palavra e esta se dilui nele...

Maresias disse...

Maré

os livros da Poeta IMF estão esgotados. No entanto, penso que ainda é possível encontrá-los no Brasil.

Recolho informação e depois confirmo.

Beijo

isabel mendes ferreira disse...

(gostaria que fosse diferente....mas agradeço e muito a mão. solidária)



beijo.

Mar Arável disse...

á noite

até as palavras luzem

e por vezes emergem ninfas

das águas em fogo

que ajudam a voar

e nos espantam de tão reais

PiresF disse...

Caríssima Maré,

Acredite que é um enorme prazer visitar o seu espaço e, acredite também, que me penalizo por só agora o conhecer.

Gosto do que escreve e embora pouco comente por aí, a partir de hoje fará parte da lista das minhas leituras, como igualmente fazem alguns que aqui se encontram e há muito leio.

Esta sua caixa de comentários é uma autentica “maré de espanto”, pois, estão aqui alguns dos melhores da blogosfera; como o afável “Mar Arável”, a enormíssima Isabel Mendes Ferreira e a minha extraordinária prima Graça Pires. Isto para falar de amigos pessoais, depois temos outros que só conheço da Net mas pelos quais tenho estima, como por exemplo a nossa querida Maresias, o Nilson e o Vieira Calado. Tudo gente que anda na Net de coluna bem direita e que dá gosto ler.
Os outros, mesmo sem conhecer o que escrevem, são certamente de qualidade.

Minha cara, é a tal história; diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és.

Um excelente fim-de-semana para si e um forte abraço.

PiresF disse...

PS: Lá no lugar do “Era uma vez o que não é”, está um post excelente da Maresias. Uma análise critica que no mínimo é de excelência.

Arabica disse...

:))

Há sempre um espanto maior
quando a noite
se recolhe
em si?

Beijo, bom fim de semana.

antonior disse...

entre os opostos exerce-se o acto de existir...

isabel mendes ferreira disse...

Maré.........





um beijo.


(que chegue às estrelas)