segunda-feira, 20 de julho de 2009


.......... ______
_______

abro o peito à flor lilás que o teu nome deixou.
lembro alguém dizer que o amor é um instante.
deve haver dentro das coisas uma lembrança de sol
uma nesga de sul que a parede mais a norte não engoliu.
então fecho os olhos para te sentir na espontaneidade das mãos
ou nesse silêncio estendido que os olhos vão escrevendo.
mas chove. e o dizer-te exacto é um incoeso trilho de semânticas.
a noite é um réquiem sobre o coração.
__ longínqua a oração que já não sei pronunciar.


ft: umair ghani

15 comentários:

lobices disse...

...excelente poema

Maria disse...

Belíssimo,
sem mais palavras...

Pedro Branco disse...

A tua distância percorre-me o peito nos seus passos pesados e quentes. Rompo os tempos por entre as inquietações das memórias, dos fogos por acender. Rasgo os trilhos do teu olhar, do teu cantar, do teu ninar... O teu nome sorve-me aos pedaços o infernal manto dos silêncios. Que ecoam demais dentro de mim...

Graça Pires disse...

"uma nesga de sul que a parede mais a norte não engoliu".
Mais um belo poema de quem sente que é verão ao sul de uma paixão qualquer.
Um grande beijo, Maré

Vieira Calado disse...

"abro o peito à flor lilás que o teu nome deixou"

Este verso que abre o poema,

é muitíssima bom.

E o poema continua com a mesma serenidade e beleza.

Gostei bastante.

Bjs

isabel mendes ferreira disse...

sublime!




sublime!



sublime!


re.sublime. com beijo.

Mar Arável disse...

O mar

por uma nesga

Belo

isabel mendes ferreira disse...

obrigada....Maré.


beijo.



(sentido)

susana disse...

... então fechei os olhos e senti o teu poema como uma brisa da manha perto das ondas do mar...

que bom...

Beijo de um anjo
Susana

isabel mendes ferreira disse...

...e a surpresa constante ...


da companhia.



(beijo grato)(muito)

maria m. disse...

a sentida nostalgia de um amor, um afecto ido, em lindíssimas e originais imagens.

obrigada por partilhares tão belo poema.

um beijo.

Arabica disse...

Maré,

as palavras -inscritas- deixam memórias, impronunciáveis.
Que apenas aos sentidos fazem sentido.

Sempre bela a tua poesia.

Um beijo, bom fim de semana.

ausenda disse...

O dizer exacto não existe, a nesga de sol com que cobrimos as palavras, deixam lugar ao mais profundo olhar do nosso silêncio!

Dizer que gostei...é muito pouco!

Um beijo

lupussignatus disse...

impronunciável


[a beleza

do poema]



*bom-fim-de
semana*

Henrique Dória disse...

O mar aqui é muito.Beijos