sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

___________________


Foto: m. isabel batista

13 comentários:

Maria disse...

Estás no lugar certo.
Belíssimo poema...

Um beijo, maré

Graça Pires disse...

"assombro-me em cada coisa
gravada à borda d´água
para dar à luz
o amanhecer das barcas."
Há, aqui, a evidência da luz onde também me assombro...
Um beijo, Maré.

Luis Eme disse...

estás no lugar da poesia...

bjs Maré

Babes disse...

Numa única palavra, homenageio o poema... e o blog...

Soberbo!!


Beijo em Ti

Henrique Dória disse...

É bom vir aqui

susaninha disse...

Ola MARÉ, só entrei neste mundo dos blogs á pouco tempo, desde então fui descubrindo mais e mais blogs de que gosto outros de que gosto menos,até que cheguei ao teu...
O que escreves é lindoooo,não sei de onde vem a tua inspiração mas se vem de dentro de ti olha és fantastica, adorei o teu blog. Passo por aqui todos os dias faz-me bem.
Que um anjo te ilumine.
Beijos

fred disse...

Belo poema, Maré.
Beijos

Mar Arável disse...

No espanto das barcas

o suicídio dos céus

GOSTEI

gabriela rocha martins disse...

ainda me assombro
no a manh'ser
das tuas marés de silêncio

poeta



.
um beijo

Arabica disse...

...poesia que nos transporta na luz, na eterea escrita da alma.


Quase sitio de recolhimento.


um beijo, boa semana

Vieira Calado disse...

Às vezes apetece escrever poemas assim.
Quando parece que tudo é escuro.

Bjs

mateo disse...

Que "parto" tão feliz para as barcas: quando a noite dá à luz o amanhecer.
Tão belo.
Bj

gabriela rocha martins disse...

venho em busca de marés de espanto
e espanto.me ,sempre ,contigo

maré


.
um beijo