sexta-feira, 30 de janeiro de 2009


___________________________
__________________________
Foto: Paulo A.

11 comentários:

Graça Pires disse...

Silêncios que são gritos. Poemas que são preces. Belíssimo, Maré. Um beijo.

fred disse...

Belíssimo poema, Maré.

Arabica disse...

O lado de lá da porta que bate.


Lindissimo.

isabel mendes ferreira disse...

belo. como uma asa- que se des-tece no caminho de uma oração.

.


tão belo.

Luis Eme disse...

há sempre uma possibilidade...

bjs Maré

Moon_T disse...

Podeis voltar...
Não garanto que encontre gritos... mas quem sabe?Talvez se oiçam ecos




obrigado pela visita e pelo comentario

gabriela rocha martins disse...

tão bom que até magoa



.
um beijo

Lugar do Olhar disse...

Sempre se ouvirão as vozes... mesmo no desencontro das palavras!

Belissímo, Maré!

beijo

O Profeta disse...

A terra dorme em sobressalto
Um grito brota da alma
Danço com esta bruma de Inverno
Rodopia em meu peito uma estranha calma

Águas despertas, Mar bravio
Cai sobre mim um nevoeiro perverso
Uma onda estende seu manto de espuma
Açoita as pedras adiando o regresso


Boa semana


Mágico beijo

gabriela rocha martins disse...

não!

vai ao encontro do teu silêncio
prece



.
um beijo

mateo disse...

Calada, invisível, árida... a possibilidade é, por definição, sempre possível. E os deuses gostam de preces mesmo se gritadas...
bj