segunda-feira, 20 de outubro de 2008


Tela: Djorje Prudnikoff

6 comentários:

Graça Pires disse...

"amarradas aos séculos da sede" na memória do corpo, dos lugares e do silêncio. O mar por perto...
Um belo poema.
Beijos

Luis Eme disse...

sim, lindo...

O Profeta disse...

Que maravilha...

Vieira Calado disse...

Muito bem escrito!
Cumprimentos

bruno mateo disse...

Séculos de sede que se afogam e se afagam... no mar.
Intenso.
Beijo.

Mar Arável disse...

Necessáriamente

o amor

cumpre-se

lentamente

para o mar ter sentido