domingo, 23 de janeiro de 2011





seduz-me a ideia de um país de crentes
dizias tu.
estávamos à beira d`água sem saber nomear o rio
onde o nosso corpo afogava.


t: canada

16 comentários:

Canto Turdus Merula disse...

Com a ideia crente do corpo
à beira da luz sem saber nomear o caminho
seduz-me a passagem por aqui

Maria disse...

Nunca saberemos o nome desse rio.
Vamo-nos apenas afogando...

Beijo, Maré.

Luis Eme disse...

o rio sim, seduz-me, mesmo sem nome.

os crentes fiquei a vê-los darem uma volta, bem ao largo.

beijos Maré

AC disse...

Por vezes afogamo-nos nas hesitações...
(Gosto sempre!)

Beijo :)

alice disse...

voltei também hoje, minha amiga. estou feliz por assim nos abraçarmos nas palavras. e estou comovida... um beijo grande!

heretico disse...

que as águas do rio se apartem - no milagre da passagem!

beijos

latitudes disse...

creio em ti... rio que percorre sedutor um país onde se afogam anónimos... crentes e descrentes

abraços e beijos

d'Alma disse...

Irrelevante o nome; estranhos os corpos!... Quadro pouco credível do baptismo dos crentes!... País bizarro!


Abraço

Graça Pires disse...

A tábua de salvação é sempre a esperança de quem quer um país de crentes... Sabes que todos os rios do mundo nascem por cima dos teus olhos? Um beijo, miúda, ainda bem que voltaste.

Jaime A. disse...

Estranha mensagem esta... muito bela na mesma...

pin gente disse...

abraço-te.
abraças-me.
e nesse abraço eterno nos deixamos imergir como início líquido e profundo de ecplise até ser sombra sobre o teu corpo e tu, áurea luminosa que me envolve.

um beijo, maré (hoje de rio)

Luana Figueiredo disse...

ce poème sans préavis!!!!
un baiser.;D

Paulo disse...

Difícil nomear as "coisas" que vão cá dentro, a matéria na qual está submergida nossos sentimentos mais íntimos, mais fácil crer nas coisas que nos rodeiam.

Estive aqui e voltarei sempre!

Congratulações brasileira pra ti.

Paulo Ednilson.

Mar Arável disse...

Bem-vinda

do ventre até à foz

Bj

Jorge disse...

Como um poema curto pode dizer muita coisa..
Visita:
http://ladocego.blogspot.com/

Anónimo disse...

eu creio nesta poesia. de marés e espantos.



um beijo grande L.




mjq