quarta-feira, 16 de setembro de 2009



_______


pensava:
crescemos dentro da noite
enquanto os bichos se alimentam.
sentava-me no cais para um derradeiro adeus
dizia sempre: o último!
e a força da manhã recolhia-me o gesto
na lentíssima corrosão dos dedos.
somos uma luz breve
[repito-me ainda
tão breve
que entre um cais de chegada e um apito de partida
nos tornamos fictícios.
fecho os olhos a esta claridade insustentável
a mão suspensa num movimento do quase.
perdida a determinação de te seguir
nem o mar sustenta a crença:
se olhasse ao longe a entrada da barra
veria os barcos rasgarem-se de lágrimas.


ft : anke merzbach

26 comentários:

Isabel disse...

rasgadura de palavras que permanecem como um manto.



.


escreve sim. e muito bem.
:)


bom dia Maré.


beijo.


y.

simplesmenteeu disse...

"crescemos dentro da noite" como sombras a escrever nas paredes um gesto de solidão.
Somos a lágrima suspensa entre a noite e o dia e o pranto rasgado onde soltamos pequenos barcos de papel.

Um Beijo

gabriela rocha martins disse...

irresistivel
mente

BELO

suspensa a

LÁGRIMA


.
um beijo

Ricardo Calmon disse...

No abissal da noite,dilareças dígitos,como se seda fossem,e a púrpura cor,das tulipas imersas em poética sua,se confudem com o mar de ilusões e vidas que ficaram e se dissiparam,em peito teu!

Viva Vida!

Graça Pires disse...

A luz breve rasgada nos mastros.
Muito belo, minha amiga!
Um beijo enorme.

Mar Arável disse...

Lá estarei na tua luz

que seja breve ou lágrima

talvez maré

JOSÉ RIBEIRO MARTO disse...

belíssimo , prestes a ...
nostalgia cristalina ..., de emoções...
O meu abraço, Alma..
__________ JRMARTO

antonior disse...

Em cada momento há um princípio que promete um futuro e um fim a abrir a porta a um renascer.

E, na voragem do acontecer, fica sempre algo do que aconteceu e não devia e do que devia e não aconteceu...

O poema/pensamento é belo e eficaz a comunicar esse sentimento.

Beijinhos

maré disse...

Um beijo Isa

e pétalas

de espuma

Isabel disse...

obrigadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.....



espuma....:)

avlisjota disse...

"somos um luz breve" uma luz irreal uma luz perdida, uma luz de partida a lado algum e chegada a lado nenhum...

Olá Luisa beijos e bom fim de semana

José

Jaime A. disse...

Os sentimentos desfeitos,
a claridade possível,
o abandono,
o pesar
(o estado de graça)...

Beijo no cais, maré

maria josé quintela disse...

e eu penso: também se abrem os olhos na escuridão. para não se verem os barcos.


e sim. "crescemos na noite".


beijo maré.

Henrique Dória disse...

Crexsçamos sempre dentro da noite, sempre, até à morte. Beijos

lobices disse...

...como sempre: gostei

Luis Eme disse...

crescemos sempre, mesmo quando começamos a "minguar"...

bjs Maré

gabriela rocha martins disse...

há duas palavras que não se dizem

NUNCA e ÚLTIMO

porque ao "crescer dentro da noite" somos o princípio do

SIM


.
um beijo

Vieira Calado disse...

Trata-se dum poema muito belo,

bem escrito

cheio de pormenores interessantes.

Cumprimentos meus

Nilson Barcelli disse...

Pensas e dizes muito bem. És superior no tratamento da palavra. Este poema é magnífico.
O poema que escrevi (o da gravata e do verniz) não se aplica ao teu caso...
A foto foi muito bem escolhida.
Querida amiga, bom resto de semana.
Beijo.

mateo disse...

Que lindo!
Por isso quero sempre que as despedidas sejam muito breves...
Beijo dum regressado.

Arabica disse...

É belo como dizem e rasgado, como sentes.
Talvez o segredo resida para lá da barra, para lá da marca do homem...talvez o segredo cresça também de noite, numa linha de horizonte, que desenhamos em sonho, em silêncio.

Ler-te é sempre um momento que gosto.

Beijos

maria m. disse...

uma «luz breve» no interior da noite, entre um princípio e um fim, um amanhecer difícil... tocou-me muito este poema, pelo sentido e pelas palavras, belíssimas.

beijos.

lupussignatus disse...

~o turbilhão

das

correntes


[de luz]


*beijo*

Virgínia do Carmo disse...

A superfície da água, só por si, não passa de água, mas quando nos fazem mergulhar vemos que lá em baixo está todo um universo de sensações, cores e efeitos. Penso que assim acontece com as palavras. E enternece-me quando alguém me puxa para o fundo e me coloca perante os olhos da alma cenários emotivos tão sublimes ...
Deixo, também aqui, a minha gratidão como já fiz noutros lugares por que passei - humilde e rasteirinha...

Virgínia do Carmo disse...

corrijo: "...e enterneço-me quando... "
Beijinho

Mar Arável disse...

um beijo mais