terça-feira, 24 de março de 2009


_________________________
__________________________

pt : Otto Rapp

13 comentários:

Maria disse...

Não tenho palavras.
Não consigo tê-las para um texto destes...

Um abraço

isabel mendes ferreira disse...

também não....:(

a não ser o fascínio.

de um texto com nome branco de puro e rigorosamente escrito.


o brilho é uma mancha a estalar o texto.

o texto fala de si mesmo. intenso.


beijo.

Graça Pires disse...

As aves marinhas. Tão brancas. Um azul magoado. Os versos que falam de um amor que possui a febre das palavras desabitadas e devoram o nome dos que não sabem amar.
Poema sublime e intenso!
Um grande beijo, Maré.

Babes disse...

Minha mudez de palavras...
Meu grito de sentires...
Meu aplauso... de pé!!


Absolutamente lindo!!!


E por fim...

Meu beijo

mateo disse...

Que se espalhem as cinzas antes da maré vazar.
Há outros corpos novos para recolher na maré cheia.
Beijo.

Luis Eme disse...

tens razão, é a febre das palavras desabitadas...

bjs Maré

Mar Arável disse...

É verdade sim

até os pássaros

precisam de liberdade

Belo texto

sentido

a rasgar a pele

lupussignatus disse...

das

entranhas

dos

búzios

gabriela rocha martins disse...

"vem comigo libertar um pássaro sublime que se encaminha para a morte"

belíssima imagem
que destaco ,tão só ,porque todas me fascinam


.
um beijo

ausenda disse...

Magestoso!
Inibe qualquer comentário!

Parabéns, Maré, és inesgotável nas palavras!!!

Um beijo

isabel mendes ferreira disse...

:)))))))))))

beijo.



em branco sobre o negro desta tela.

gabriela rocha martins disse...

irresistível

exigia.se
uma
re
leitura


.
um beijo

clanDestino. disse...

Gostei de muitas frases.

D.