terça-feira, 27 de janeiro de 2009

10 comentários:

Luis Eme disse...

sim... irmão do vento...

coleccionador de pedras e sonhos...

bjs Maré

Maria disse...

Muito bonito o teu pastor
que apascentava sonhos...

Um beijo

Graça Pires disse...

Ia com o vento apascentar seus sonhos e nas ranhuras da tua infância plantou-os como se fossem urze e rosmaninho.Por isso há estes aroma campestre no horizonte quando chega a primavera.
Belíssimo o teu poema. Um beijo grande.

Isabel disse...

e os sonhos assim apascentados crescem-nos!



texto absolutamente BELO.



.


piano.

D. disse...

Ádorei o texto e a visita.
Levo você comigo.


D.

gabriela rocha martins disse...

POEMA

ABSOLUTO

em palavras e em imagens

ÚNICO



.
um beijo

Vieira Calado disse...

Um gostinho bucólico, esbelto.
Muito bonito, sem dúvida!

Olhe, amiga, por acaso tenho um poema que começa assim:

Estou vivo e colecciono pedras...

Um dia destes coloco no blog.

Obrigado também pela sua amável referência ao meu Itinerário.

Cumprimentos meus.

Lugar do Olhar disse...

Pastorícias de sonhos
ao vento...
vividos para lá
da infíma palavra...
vida!!!!

Amei o teu poema, belo retrato poético.

Beijinhos, Maré


não sei se já conheces - http://poemas76.blogs.sapo.pt

Mar Arável disse...

Já apascentei este pastor

e continuo a gostar

Belo poema

mateo disse...

Que maré cheia de imagens! E, nela, banharam-se os sonhos do teu pastor.
Beijo.