sábado, 8 de novembro de 2008


À Conversa Sobre… "Timor Lorosae – Aniversário do Massacre Santa Cruz”, com D. Ximenes Belo – Prémio Nobel da Paz

12 Novembro Biblioteca Municipal de Estarreja

21h15 Projecção do filme “Timor Lorosae” A curta-metragem de animação realizada por Vítor Lopes e produzida pelo Cine-Clube de Avanca narra a história do povo timorense que, após 500 anos de colonialismo, resistiu a 26 anos de ocupação indonésia. As lendas da fundação da ilha, a história portuguesa de 500 anos e a resistência do povo maubere à ocupação indonésia são cruzadas nesta curta-metragem que foi objecto de vários prémios internacionais.

21h30 À Conversa sobre "Timor Lorosae – Aniversário Massacre Santa Cruz”, com D. Ximenes Belo – Prémio Nobel da Paz O massacre do cemitério de Santa Cruz, Díli, em 12 de Novembro de 1991, acordou o mundo para a ocupação de Timor-Leste. As imagens deste massacre, ao serem apresentadas nas televisões de todo o mundo, sensibilizaram a comunidade internacional para a dramática situação do povo timorense. A causa de Timor-Leste pela independência ganhou maior repercussão e reconhecimento mundial com a atribuição do Prémio Nobel da Paz ao Bispo Carlos Ximenes Belo e José Ramos Horta em 1996.

21h00 Inauguração da Exposição de Pintura "...Bendito seja o mesmo sol de outras terras" [A. Caeiro], de Maria Dulce


Estive em Ponta Delgada com D. Ximenes Belo há três anos e é absolutamente fascinante conversar sobre Timor com o Prémio Nobel da Paz

6 comentários:

fred disse...

Há coisas que não se pode esquecer para que não se repitam. São coisas cuja lembrança causa dor, necessária, porém, para prevenir dores insuportáveis.
Beijos.

Luis Eme disse...

acredito, Maré.

e há tanto ainda a dizer sobre Timor...

bjs

lupussignatus disse...

cultivar

a

memória

O Profeta disse...

Em Ponta Delgada...?

gabriela rocha martins disse...

é preciso ter sempre presente o que o passado escondeu ,não quer lembrar ou pouco lembra

para que as memórias se não apaguem!


.
um beijo

Graça Pires disse...

O tema é importante. Como importante é não esquecer...
Estarreja é que fica longe.
Um beijo Maré.