sexta-feira, 24 de outubro de 2008


Foto: Fernando Dinis

5 comentários:

Graça Pires disse...

Regressemos com ele ao princípio da noite para encontrarmos essa extensa duna de silêncio e com ela inventarmos as estrelas.
Belo este poema, Maré. Bela a fotografia também. E bela a música.
É bom vir aqui...

Luis Eme disse...

tantas mensagens deste teu maré, de encantos e de fados...

bjs Maré

SMA disse...

A noite e o mar
o mar e a terra
.
.
.
cumplicidade eterna
.
.
e segui sinais de maresia
e gostei do imenso mar
bjo

Mar Arável disse...

Reconheço esse ciclo de marés

onde tudo é diferente

e as dunas vivas

também se movem

lupussignatus disse...

in
decifráveis

as

correntes

da

noite