quinta-feira, 8 de maio de 2008

Marés de Espanto


Talvez quando desenho na areia o silêncio cavado no olhar
e olho as mãos caladas da febre de te tocar,
talvez aconteça um prenúncio de mar...

Sem comentários: