quinta-feira, 8 de maio de 2008

...ao longe

ao longe incendeiam-se as cores da manhã
e a lua aparece trespassada pelas lágrimas do mundo.
Está cansada, com os olhos rasos a desmaiar sobre o tempo que viveu.
As multidões aproximam-se e ela vê em cada um
a promessa de mais lágrimas encostadas aos silêncios milenares de tantos corpos
.Pergunta-se: que farei para que destas almas um sopro de esperança se vislumbre?!...
e nesse momento a terra rompe a matéria e diz:
a felicidade só é possível em permanência
quando todas as manhãs surgirem com a voz do mar
a lavar todas as nódoas e pesadelos que vão diluindo os sonhos...

Sem comentários: